A tragédia de Mariana. A lama da destruição

No último dia 05 de Novembro de 2015, o rompimento da barragem de Fundão  que fica entre os distritos de Mariana e Ouro Preto, pertencente da mineradora Samarco em Minas Gerais, deixou um verdadeiro rastro de destruição pela lama contaminada com rejeitos de minério.

downloadVários distritos foram atingidos, sendo que  Bento Rodrigues foi um dos mais prejudicados. Casas foram destruídas, assim como, os objetos de seus moradores, pessoa morreram e outras estão desaparecidas.

Alguns animais foram perdidos em meio a enxurrada de lama e cerca 500 como cavalos, cachorros, galinha entres outros foram resgatados com vida e estão sendo tratados por veterinários voluntários.

Esse desastre já é considerado uma dos maiores da história de Minas Gerais. A Lama destruiu a biodiversidade inclusive os peixes, as florestas e os rios que encontrou pelo caminho, ocasionando a suspensão do fornecimento de água em várias cidades, devido a contaminação da mesma por metais pesados, o que tornou inadequado o seu uso para o consumo. O Rio Doce,  principal vítima dessa tragédia ambiental, já é considerado oficialmente morto, visto que foram encontrados em suas águas metais pesados como chumbo, alumínio, ferro, bário, cobre, boro e mercúrio. Para Luciano Magalhães, diretor  responsável pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Baixo Guando, e que fez a análise, a água não serve mais para nada, não sendo mais recomendada  para a irrigação, consumo animal e humano.

4589312_x360Todavia, a bacia hidrográfica do Rio Doce ainda não foi prejudicada pela lama, razão pela qual uma força tarefa foi organizada por pescadores e batizada de operação “Arca de Noé” para retirar inúmeras espécies de peixe e os transferindo para lagoas com água limpa com caixas, caçambas e lonas plásticas.

O Ministério Público mineiro afirma que não se trata de fatalidade, mas de negligência da mineradora Samarco que não monitorou de forma eficaz a barragem de Fundão e exige em juízo que um salário seja pago para os moradores que perderam suas casas e seus pertences, até que se decida uma possível indenização a ser paga. O Governo Federal bloqueou R$ 300 milhões de reais da mineradora e a Presidente Dilma estabeleceu multa preliminar de R$ 250 milhões de reais para os danos ambientais.

1447007143234Para deixar a população mineira ainda mais inquieta, foi detectada trincas na barragem de Germano e o medo de um novo desastre ambiental foi cogitado. Mas segundo informações da própria mineradora Samarco, a barragem de Germano está estável e passará por manutenção e monitoramento constante.

E assim segue o ser humano. Destruindo a natureza que é a sua única fonte de vida, em nome dos interesses financeiros e do poder acima de tudo. Dia após dia,  vai se matando paulatinamente. Isso mesmo, cada vez que agredimos a natureza, nos matamos mais um pouco, pois não existe separação entre humano e natureza porque ambos são uma coisa só. Com uma pequena diferença: Nos somos absolutamente dependentes da natureza e seus recursos para estarmos vivos, mas ela não depende de nós para absolutamente nada! Vamos tomar consciência de que precisamos rever nossa relação com a natureza antes que seja tarde demais!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *