Quando nem o futebol brasileiro e seu principal jogador estão livres da corrupção

O futebol é um dos esportes mais populares por todo o Brasil e a relação do brasileiro com a bola é algo por vezes tratado como uma certa correlação certa, a qual muitas vezes não é tão verídica assim. A presença da ligação do futebol com o nacionalismo e com o próprio país serviu, há quase meio século, para “esconder” um pouco a tensa situação política vivida na Ditadura Militar e a época do tricampeonato brasileiro. Hoje, com o aspecto da corrupção quase encarcerado no cerne brasileiro, nem o principal jogador de futebol brasileiro da atualidade, Neymar, consegue sair do meio enlameado da corrupção no Brasil.

Os casos de corrupção envolvendo a multinacional brasileira, assim como a descrença no principal esporte brasileiro são marcas da situação brasileira

Os casos de corrupção envolvendo a multinacional brasileira, assim como a descrença no principal esporte brasileiro são marcas da situação brasileira

A questão do aspecto político no Brasil tornou-se um problema de proporções incalculáveis. O imenso processo de corrupção da empresa orgulho do Brasil, a Petrobras, multinacional que sempre foi um patrimônio nacional desde a época do governo de Getúlio Vargas, foi mais um fator para o descrédito já existente em dias melhores no âmbito brasileiro. Após o exorbitante gasto com estádios e obras de infraestrutura para a Copa de 2014 e a pífia atuação da seleção brasileira, o brasileiro não teve mais do que comemorar, principalmente com a situação ruim da economia e os inúmeros casos de corrupção envolvendo famosos políticos.

A utilização do futebol como figura do nacionalismo serviu para esconder a face da Ditadura Militar

A utilização do futebol como figura do nacionalismo serviu para esconder a face da Ditadura Militar

Nesse contexto, em um período de dois anos, o futebol, considerado como esporte “paixão nacional”, o qual poderia ser uma tentativa de fuga para a situação ruim do país, tal qual aconteceu nos anos 70,  amargura também a triste realidade da corrupção. Os escândalos envolvendo irregularidades no recebimento de dinheiro para a escolha de sedes para a Copa mancharam representantes de todo o mundo, inclusive o já conhecido Ricardo Teixeira e José Maria Marin, por supostas ligações com atos ilícitos envolvendo a CBF. A imagem de uma entidade de futebol envolvida em desvios de dinheiro deixava o Brasil mais uma vez com uma vergonha dificilmente vista.

Jogador é acusado de fraudes e sonegação de impostos

Jogador é acusado de fraudes e sonegação de impostos

Além disso, o possível envolvimento em irregularidades do mais conhecido jogador de futebol do Brasil, o jogador do Barcelona Neymar, também mostra o quão triste está a situação dos “exemplos” colocados pela mídia brasileira. Aquele personagem que deveria ser um exemplo para todos aqueles que o assistem, os quais são milhões, pela figura de representatividade do esporte mais popular no país, é investigado por sonegação de impostos e fraude perante a Receita Federal. Mais do que isso, também é investigado por suspeita de problemas no passe do jogador de seu ex-clube, o Santos, para o Barcelona, em 2013. Definitivamente, está difícil encontrar um local onde a palavra corrupção não esteja escrita, seja nesse post, seja por todo o Brasil.

Não só do futebol, mas da corrupção, triste característica brasileira, levamos uma sonora goleada.

Não só do futebol, mas da corrupção, triste característica brasileira, levamos uma sonora goleada.

Retirar a atenção de um problema sério, tal qual a corrupção, para o futebol, não é algo válido, mas expor que ao menos no esporte mais popular do país e com alta mídia ela não estaria presente poderia ser algo, no mínimo, reconfortante. Nem disso estamos livres. Nem do jogador com maior renome do esporte no Brasil, nem em seus políticos. É fácil perceber como o Brasil parece que só “desanda” ao passar do tempo no combate a uma cultura egoísta e com sérios problemas. Tal como é mencionado pelas redes sociais, a expressão “todo dia é um 7 a 1 diferente” nunca foi tão realista e perversa para com o país. Mas, desta vez, acontece com Neymar e muito mais do que somente uma seleção de futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *